domingo, 14 de junho de 2009

Possibilidades


Anthon dirigia celeremente para seu trabalho, o atraso tinha como resultado intensificar seu mau humor costumeiro àquela hora da manhã. Parou no sinal vermelho, atrás de uma motocicleta, instantes se passaram e nada mudou, exceto a cor do sinal, uma mudança singela, contudo importante para Anthon, pois indicava a possibilidade de continuar se dirigindo a seu emprego, porém não foi exatamente o que aconteceu, visto que o motorista do veículo situado à frente do seu não se locomoveu, Anthon não tardou a buzinar; todavia, havia algum problema na motocicleta que a estava impossibilitando de seguir em frente.

Nosso herói, ao menos assim era intitulado segundo ele próprio, tomado de uma furia ante a ausência de movimentação por parte do indivíduo que obstruía seu caminho, desceu de seu veículo e, ao notar sua vantagem em altura e compleição ante o adversário, pôs-se a ofendê-lo mediante uma série de impropérios, o rapaz mandou que Anthon se calasse, visto que estava tendo dificuldades em consertar seu meio de transporte; Anthon, porém, retorquiu que pouco lhe importavam os problemas alheios, ordenando que o outro saísse imediatamente de seu caminho.

Dois homens desceram de um veículo localizado atrás do luxuoso carro de Anthon, e avisaram que se o motoqueiro fosse tocado, eles não deixariam aquela agressão infundada ocorrer impunimente. Anthon redarguiu que pouco lhe importava o que os dois rapazes julgavam certo e lhes informou seu intento de tirar a pancadas o jovem motoqueiro de sua frente. Destarte, os três indivíduos se uniram na frente de Anthon. Este por sua vez, refletiu pela primeira vez naquele dia, analisou se seria sábio enfrentar aqueles três homens; contudo, uma multidão já havia se posicionado a fim de assistir ao espetáculo, e nosso herói não almejava agir feito um covarde, ao menos em público. Em sua cabeça, seria preferível enfrentar os três, porque embora levasse a pior, ficaria visto como corajoso, logo não teria como levar a pior, ademais, seus rivais seriam julgados como os verdadeiros covardes, pois estariam em uma grande vantagem numérica.

Por um instante, ocorreu-lhe a ideia de ser indiferente ao julgamento de todos aqueles circunstantes, e simplesmente voltar a seu carro e esperar que o motoqueiro solucionasse o problema de sua moto, porém ao atentar que o número de espectadores crescera, sem parar para pensar, desferiu um soco na fronte do jovem rapaz, tudo o que se sucedeu passou tão rápido que Anthon nada pôde ver, apenas sentiu fortes batidas e a dor recrudescer a cada segundo, até que fosse dado o veredicto de que já apanhara em demasia.

3 comentários:

breno lucano disse...

Ponderação é uma das virtudes cardeais.

Janaina Moraes disse...

Olá...
Você escreve contos ou eu estou enganada?
Gostei muito dos seus textos, são de muito boa escrita e bom gosto.
Vou voltar mais vezes.

Passa no meu
http://aindamaisestorias.blogspot.com

Lari. disse...

Ações sempre vêm acompanhadas de consequências. Nem sempre acontecem de forma tão imediata, mas acontecem.
Sou a favor dessa idéia de não se acovardar, de não fugir. Detesto desistir e, por conta disso, avalio bem antes de tomar uma decisão. Primeiro, para ter certeza de que não estou agindo sob uma atitude infundada e, como consequência, para não ter que entrar em conflito com a não-desistência. Claro, porque tem horas em que é melhor desistir do que levar a pior.
;)