segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Comédia não risível: real


Bernardo era um indivíduo desprovido de individualidade, cria no que todos acreditavam, sua indumentária era oriunda do que a novela ou as revistas indicavam como ideal, ademais se animava quando o horóscopo lhe dizia algo favorável. Acalentava o sonho de ser ator, embora já o fosse e sequer soubesse; seguia à risca os papéis que seus diretores lhe entregavam, acreditava cegamente no que seu personagem devia acreditar, segundo eventuais roteiros (tais crenças que curiosamente eram envoltas em mistificações e irracionalidades), vestia-se a contento da grande comédia intitulada vida real, e tudo isso para sequer receber um mísero aplauso de alguém que não fosse ator como ele, pelo menos nada de aplausos genuínos. Fazia papéis diversos, mas havia algo em comum entre seus personagens, todos não tinham o hábito de questionar, felizmente, estes tinham outro traço em comum: não se olharem no espelho, porque se Bernardo o fizesse, iria tomar um enorme susto com aquela miríade de máscaras sobre seu irreconhecível rosto; contudo, tinha predileção por observar os outros do que a si próprio, jamais baixava suas cortinas. Seu desfecho transformou a sua comédia em tragédia: tanto empenho para nenhum reconhecimento, aplauso ou final feliz.

24 comentários:

Eu mesma disse...

Lindo o texto. Se for seu mesmo, está de parabéns, se não for, parabéns assim mesmo, bom gosto!

Lidia Moreira Marques disse...

Belo texto.!!!!!
Adorei...

blog disse...

O texto é bom.
Amargo justamente porque fincado na realidade. Não é necessário ser ator (real) para sentir-se assim. A vida já é trágica por si.
Gostei do texto.

Móó legal disse...

veio, te mata!
fudido esse texto!
mas para de dar final triste!
final feliz é legal...igual em novela da globo!
AEUHauehuaHEUHauehUAHEUheuhAUEHUha

---
www.moolegal.wordpress.com
aki, a comédia pe rizível!

Bruno disse...

Um tanto sombrio.
Mas você escreve bem, tem o domínio das palavras.

abraços.

Luis Filipe disse...

adoro contos e cronicas, sendo que meu blog é disso xD.
você escreve muito bem, misturando ficção com criticas sobre o dia a dia.

Janaína Moraes disse...

Passando apenas para divulgar...

O sofá mais charmoso da

blogosfera está de volta.

Isso mesmo, ele voltou.

Não perca nem um detalhe.

http://aindamaisestorias.blogspot.com

Bjo e me linka.

Adiel Seffrin disse...

O texto é bom..
Eu que não sou muito fãn da área para apreciá-lo como deveria.. eu sei.. é triste..
Mas pelo menos sou sincero...

Mas tchê, escreves bem!
Continua na lida que no final,s empre têm os aplausos!

Carlos Junior disse...

otimas palavras

tava precisando

Carlos Junior disse...

visista o meu

www.vascaominhapaixao.blogspot

Carlos Junior disse...

parabens pelo blog

desde de qdo o tem?

Daniel Moraes disse...

Muito bom seu texto!
admiro "vocês" ( vocês = blogueiros que sabem escrever xD )

enfim, parabens ^D

douglasfert disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
douglasfert disse...

Excelente crônica esta sua sobre a Massa e seu rebanho de alienados.

Estava lendo seu texto e me encaixando nele, ao contrário. Em especial no quesito CONTESTADOR. Eu sou um nato, muitos me chamam de chato. Mas me iga algo que considera perfeito e eu terei argumentos suficientes para contestar.
Sou assim com tudo e com todos. De futebol a teatro.
Não quero mudar a cabeça de ninguém. Quero, apenas, fazê-las pensar.


Você também deseja. Partindo do ponto que escreves um texto assim. Pena não ser TODOS que o irão ler ".

Leo Pinheiro disse...

A realidade não é nada cômica, como o seu post ratifica, mas...

Na verdade ela tb não é tão dramática...

Infelizmente!

A realidade é muito menos que a dramaturgia.

historiaspraboidormir disse...

sentir o sabor de cada palavra
escreves muito bem

Liza disse...

tem pessoas que mudam tanto o seu ser para serem aceitas que esquecem de ser o que são.

gostei do texto e do blog...

8)

computaki disse...

hum... existe esta palavra? risível? achava q só eu q inventava palavras hehehe

Google disse...

Sinceramente nao gosto desses tipos de texto. Mas, ta valendo.
flw!

Pulsações disse...

A vida é uma peça, o mundo é o palco, e quem é o protagonista?

Cabe a você mudar o final e conseguir arrancar os aplausos da platéia, antes que a cortina se feche.

;)

Muito bom teu texto.

Beijos

Lóri

Paulinha *-* disse...

adooorei o texto.
final tráágico.. sempre assim :/

o Morango Falante passou por aqui ;)
http://morangofalante.blogspot.com/

Évisson disse...

" A VIDA DELE ERA UM TEATRO"

PakiiT[O] disse...

ksaopskoapskoskpks
gosteei do textoo
e a fotoo retratoou bem o que voce quis dizer


viisiitê uu mêeu.
www.doispetelecos.blogspot.com

Celma Araújo disse...

òtimo texto com conteúdo rico e bastante agradável,
Muito bom gostei! Parabéns!