terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Recriações Cinematográficas


Muitas vezes, é frustrante assistir a um filme baseado em uma obra literária, devido à ínfima fidelidade com o original, tal infidelidade nem sequer decorre de uma interpretação feita pelo diretor divergente da nossa, pois se assim o fosse, seria plenamente compreensível; contudo, os diretores modificam as histórias como lhes convém, se aproveitando das idéias de outrem para expressar as suas, é o mesmo que um tradutor modificar a obra original como lhe aprouver: infundado.
Pois, por que não criam suas próprias obras genuinamente ao invés de modificarem as de outros? Porque há uma grande distinção entre criar, reproduzir e recriar, este último nem mesmo deveria estar presente na literatura e no cinema, salvo algumas exceções. Talvez pensem que é indigno de mérito fazer algo deveras similar ao original; entretanto, é aí que reside o realmente sublime, apresentar aos admiradores da obra original todos os personagens sem substituições ou omissões relevantes concernentes a estes e à história.

45 comentários:

Marcio Santos disse...

Concordo com a sua opinao amigo

e acho que o brasil tem capacidade de fazer muita obra melhor q essas q ja fez ate agora


comentem sem dar calote!


http://paginadacomedia.blogspot.com

Noticias reais e curiosas, todas verdadeiras e com fonte.

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=12746242

-----------------------------------------
parceria?
topico "nossos parceiros"
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=12746242
COMUNIDADE "BLOG PAGINA DA COMEDIA"

KathY CatherYne disse...

Pois é.,., Na minha opinião, mais do que ser fiel ao original, a recriação cinematográfica tem que convencer e trazer a essÊncia da obra original.,., Às vezes o roteiro de um filme pode até ser bonzinho, mas se a obra original for melhor, esquece, vc vai achar o filme uma m****.,.,

Bruna Fróes disse...

Concordo,
Tantas obras bonitas que não precisa de nenhuma modificação," e eles vão la e acham que do jeito dele é melhor"

vitor marques da silva disse...

concordo plenamente com a sua opinião
xd

Lucas Soares disse...

Gosto de determinadas adaptações. Até porque, nem sempre dá para ser exatamente igual à obra. Às vezes têm muito diálogo.
Tem algumas representações que até ficam boas, e bem parecidas ao livro. Como o filme de Memórias Póstumas de Brás Cubas que assisti. Ficou bem parecido...
=)

http://esperaemdeus.blogspot.com/

Bonita...Confissões disse...

Normalmente fico decepcionada com as adaptações... Não gosto.

Muito bom seu blog!

Feliz Natal!

Juka disse...

tbm acho. Sabe isso é chato, qnd assisto um filme baseado em algum livro começo a perceber q tem partes q não aparecem, até partes importantes e o diretor corta. Ja que ta sendo um filme baseado em uma obra literaria então tem q mostrar tudo ou pelo menos grande parte do livro.

Diego Rodrigues disse...

Ultimamente há mais obras sendo adaptadas para o Cinema do que criadas.

Mas aí tu tocas em um ponto que eu já discordo. Eu sonho em ser cineasta e se eu tivesse a oportunidade, há pelo menos duas grandes obras que eu queria levar para o Cinema, não porque eu não tenho criatividade mas justamente em também levar as pessoas a se interessarem mais sobre a leitura e o Cinema também. Levar às pessoas aquela história que quase ninguem sabe que existe.

Mas obviamente o cara que é bom tem que criar - eu tenho vários roteiros escritos por exemplo, mofando aqui. Hollywood tá pecando nisso, escolhendo apenas projetos quaisquer para ganhar dinheiro. É uma pena.

vitoria disse...

Obg pra vc tbm!
adorei o texto!

Leandro Rocha disse...

O grande problema das refilmagens ou obras "baseadas em.." é que ficam num limbo entre a repetição de uma fórmula de sucesso e a ânsia do diretor e/ou produtor em fazer algo com a sua marca.
Essa indefinição cria esse impasse que compromete a obra, uma vez que não dá a possibilidade de fazer algo novo e nem consegue repetir um sucesso obtido em uma produção

Miriã Soares disse...

Realmente, muito difícil ver um filme que contenha o mesmo impacto da obra literária que o inspirou... as vezes, quero dizer, a maioria das vezes me decepciono.

Carlos Vin disse...

Isso é verdade mesmo...
Uma adaptação que eu gostei muito que foi para o cinema, foi Ensaio Sobre a Cegueira, de Fernando Meirelles, do livro de Saramago, eu acho que ele conseguiu colocar muitas sensações do livro no filme..

Cara, valeu pela tua visita lá no meu blog, foi bem bacana.
Gostei também do teu espaço aqui, cara..

Um abraço!!

Rafael Dias disse...

Concordo plenamente são tantasm obras literárias perfeitas que viram poeira em filmes de diretores infiéis





http://www.someapple.blogspot.com/

Paula ^^ disse...

Concordo plenamente . Nao dá para resumir a obra e ficar identico . Mas as vezes o filme erra muito que nem parece que é o filme do livro.

Fernanda disse...

Realmente, dá raiva quando o recriador se apropria da obra de um jeito que nos parece "traição". Mas, uma vez vendidos os direitos e entregue a obra ao diretor, ao roteirista, é "traição" consentida... outra obra, outra mídia, outra coisa. Como diria Zagallo, a gente tem de engolir. :-)

Leandro Rocha disse...

E o pior é que é muuuuuuiiiiiittttoooo difícil uma dessas "livre adaptações" ter o nível da obra original...

Cinthia Rodrigues disse...

Concordo com você também. Mas que isso sirva de lição às pessoas. Se algum filme, que vai ser lançado, for baseado em algum livro, é recomendável ler, primeiramente, a obra. Só assim a gente pode ver as 'recriações cinematográficas' com os olhos críticos que você está vendo.

Leandro Rocha disse...

Talvez a vantagem mais clara dessas adaptações seja exatamente essa: provocar a curiosidade sobre a obra original.

Rodrigo Yoshizumi disse...

ahhh! sou obrigado a discordar! hehe

não sei se vc sabe, mas eu faço faculdade de rádio e tv e tive aulas sobre adaptações...

bom, não posso garantir que alguns autores façam isso "de ma fé"... mas existe toda uma questão de linguagem que deve ser seguida para telespectadores não se perderem no enredo (alguns elementos devem ser aplicados [ou tirados] de um filme para que ele possa ser "assistível".. hahah)

mas tem gente que faz isso com maestria... vide "Orgulho e Preconceito" e "Desejo e Reparação" (coincidência ou não, dirigidos pelo mesmo diretor).

dificil jugar isso...

abraçooo! feliz natal! \o/

Rodrigo Yoshizumi disse...

o "julgar" saiu sem o L no comentario de cima ¬¬

Tiago Sant'Ana disse...

Concordo em alguns aspectos, discordo em outros.

Acho que é impossível vocÊ transpor uma obra da literatura para o cinema/tv ipsi literi. É uma questão de linguagem. E, até porque não existe uma neutralidade na condução de um filme ou de um livro. Acho que é inerente ao homem dar ênfase, selecionar, excluir alguns aspectos de determinados fatos.

Concordo contigo no sentido de que os diretores e roteiristas tem se prendido demais a obras já existentes! Acaba perdendo a originalidade e a autenticidade no cinema.

Enfim, eu falo demais! É a prolixidade jornalistica! hehee

Tiago Sant'Ana
www.jornalistadepeso.blogspot.com

Liipee disse...

concordo..ótimo blog..
companharei mais posts..


devia ser como está escrito e não ser modificado com efeitos infelizes
:)

Rafael Dias disse...

ehehhehe bom voltando pra não ser um caloteiro...



permanesso com meu pensamento anterior...

Caroline Bigarel disse...

Infelizmente acontece muito isso. É lamentável, mas acho que é dificil ser diferente. Enfim... coisas de cinema.

Fabioc disse...

tu é caloteiro hein...ou mto lento


se o calote se confirmar, vai ter volta

Janes William disse...

Véio, não adianta: literatura é cultura, cinema é marketing!
Meio seco este comentário, hein? Na verdade, vim aqui mais pra agradecer por visitar meu blog e pra desejar um Natal de paz e um ano novo com muita alegria a vc e a sua família!
Janes.

Emilie disse...

^^" Bom...é muito raro encontrar um filme baseado em um livro que tenha ficado "bom"....é mais porque o jeito como as pessoas imaginam os personagens é BEM DIFERENTE. e por isso, a insatisfação.
hey, desculpe invadir seu blog^^"
beijos
Su

André disse...

tche...raramente um diretor consegur fazer alguma coisa que preste com um livro. geralmente da vontade de nao ver...o primo basilio, congo...acho que poucos eram similares aos livros. quanto a criar algo original existe o risco do fracasso. saudaçoes!

A'ZaF disse...

Muitos livros têm conteúdo para que se faça um filme, mas hoje em dia eles insistem em modificar e alterar as histórias colocando cenas que chamam mais atenção como apelar para cenas sexuais, violência, drogas e similares....

O Brasil não foge à essa regra, tanto que na maioria ds filmes nacionais o que aparece no enredo são drogas, sexo e tráfico...

Abraço

Karina disse...

Concordo... gosto de filmes fiéis ao livro, como foi 1984... acho bom visualizar o que foi lido.
bj

Guilherme Bandeira disse...

Parabéns pelo blog! muito maneiro!

Quer conhecer um blog maneiro atualizado diriamente?

www.olhaquemaneiro.com.br

Juliano Jacob disse...

Concordo... Quase sempre sia porcaria... Fernando Morais que o diga por "Olga"...

Jhon Bertonie disse...

Concordo plenamente contigo.
Sabe isso é chato, qnd assisto um filme baseado em algum livro começo a perceber q tem partes q não aparecem, até partes importantes e o diretor corta. Ja que ta sendo um filme baseado em uma obra literaria então tem q mostrar tudo ou pelo menos grande parte do livro.²

Neyde disse...

ótimo texto,ótimo blog!!!

adoreii =D~

Jaquielio disse...

Concordo com seu texto.Não curto muito adaptações.Cada obra é única.

Lari. disse...

Concordo plenamente! Seria muito melhor se a infidelidade tivesse origem em interpretações diferentes, afinal, é sempre bom fazer uma releitura das obras. Lembrando que a obra é sempre a mesma, e que recriações não se encaixam nesse perfil.

Jéssica disse...

Oi Michel, encontrei seu blog em uma comunidade no orkut, gostei muito!
A fidelidade ao livro deixa muito a desejar em filmes baseado em obras literárias, acho essas adaptações imprecisas e sempre acabo me decepcionando!
você tá certíssimo, ao invés deles modificarem as histórias do outro, deviam mesmo era criar as próprias histórias, certo?
beeijo
se cuida =*

http://baseadaemfatosreais.brogui.com

Francisco Jamess disse...

eu simplesmente fujo de adaptações pro cinema. não fica bom! sempre acho que na minha imaginação ficou muito melhor. não vejo mais.
você assitiu Capitu? AQUILO foi bom! adaptação perfeita (embora só tenha visto o último capítulo). se os diretores de cinema fossem tão fiéis quanto o autor da série, teríamos obras lindas, e filmes de 7 horas de duração. huauhauha

Bruninho disse...

Como eu disse anteriormente:
seu blog é mto bom .. seu blog é MARA!

XD

www.xisde-xd.blogspot.com

Cary disse...

é adaptações são mesmo um problema =x
mas eu ainda vou achar uma que fique boa *_*
sahushausa

blog legal

meu:contosdeuma.zip.net

Leandro Rocha disse...

Nem tudo está perdido nas adaptações para o cinema... O "Memórias Póstumas" conseguiu ser perfeito!

Wislley costa disse...

comocordo com sua opinião amigo,mas as coisas hoje em dia então mudando cada vez mais!!
parabéns pelo blog!!XD
da uma passada no meu!vlw!!

Bobagem com Mouse disse...

Penso da mesma forma!!!
Creio que deveria ser levado à risca...pra que as mudanças?
Mas tem outro lado,pois mesmo se levado a risca,qdo lemos cada um vê o personagem com seu ponto de vista e o filme quando é feito como o livro sem mudanças, muitas pessoas podem ver a interpretação do ator de forma diferente...pois lendo vc compreende com sua percepção e assistindo há muitas diferenças para qualquer pessoa!!!
(ficou confuso,mas creio q dê pra entender).

Me visite:
http://oitentando.blogspot.com/

Obs:gostei muito do blog!!!

blog disse...

Um filme só pode adulterar a obra literária se o escritor (em cujo livro a película se baseou) assinar embaixo. Todas as adulterações, tenha certeza, trazem a aquiescência dos autores. É lei internacional.

Mas pode haver o caso de o roteirista "inspirar-se livremente" na obra literária de alguém. Mesmo assim, o autor precisa dar seu aval.

Gláucio disse...

Também penso assim. Uma obra que posso citar como exemplo é o livro "O Caçador de Pipas". Li o livro e me apeguei aos detalhes.

Depois veio a adaptação cinematográfica e modificou muitos pontos relevantes do filme, mudando o climax de várias situações.

Eu que estava muito empolgado esperando um grande filme, já que o livro me surpriendeu muito, acabei não vendo muita emoção.

Acredito que devem ser de acordo com o original, quanto mais fiél melhor.