domingo, 28 de dezembro de 2008

Sobre a brevidade da vida


Em um pub, à noite.
Humberto: Bom amigo, vamos conversar e beber alguma coisa. Henry: Decerto, bom companheiro.
Humberto: Pois me conte o que tem feito.
Henry: Agora, que já vivi por mais de 55 anos, ando zelando pela minha saúde, porque é dito que ao nos acercarmos dos 60 anos, tendemos a ser acometidos pelos piores acasos, se assim os ousarmos chamar.
Humberto: Henry, acredito que não possamos medir o quanto vivemos meramente calculando o tempo decorrente do momento de nosso nascimento até o presente.
Henry: Como não, bom amigo? Não o compreendo, pois é desta forma que todos sabem o quanto já viveram.
Humberto: Você pode afirmar quem é o músico com maior proficiência em seu instrumento entre um que toque há 8 anos e outro que o faça há apenas 3, onde ambos pratiquem diariamente?
Henry: Creio que o mais competente seja o que toca há mais tempo.
Humberto: Embora o primeiro pratique durante duas horas por dia e o segundo,  sete, sendo as canções escolhidas por este bem mais elaboradas?
Henry: Sendo assim, devo mudar minha resposta por causa dos fatos agora apresentados.
Humberto: Exatamente, meu caro, pois não se deve atribuir a números o valor e a longevidade das coisas, mas sim ao que é feito e à maneira por que isso é feito. Ademais, creio que também deva mudar sua opinião sobre o modo de se contar o quanto foi vivido, pois de que adianta viver 80 anos imerso em frivolidades e despendendo seu tempo com o pouco valioso e necessário, com o acúmulo desmedido de bens, com a desmesurada vaidade?
Henry: Pois seu raciocínio está correto, prezado amigo, se formos pensar por esse ponto de vista.
Humberto: Decerto, meu caro, assim como determinado tipo de planta crescerá mais em um solo fértil que um mesmo exemplar de sua espécie em outro menos propício, embora o tempo de existência da primeira seja bem menor em relação à outra. O mesmo se sucede em relação à vida.
Henry: Excelente. Deixe-me pedir uma cerveja enquanto prosseguimos com nosso diálogo, velho companheiro.

22 comentários:

Dani Uzeda disse...

Adorei. A vida é medida por atitudes. Não há como mensurar o tempo de cada um em relação a idade. Só quem viveu que sabe o quanto a vida lhe ensinou, ou não. bjimm

ED CAVALCANTE disse...

ISSO É A CRÔNICA DE UM FIM DE TARDE. VIVER É ISSO, PEQUENAS COISAS, MOMENTOS CORRIQUEIROS. VIVER A SIMPLICIDADE SABENDO QUE A VIDA É BREVE!

curiohsa disse...

Muito legal e bem apropriado neste fim de ano, onde é tempo pra realizar balanços, melhorar, aprender e seguir em frente!
Recomeçar é preciso sempre!

Calango disse...

Perfeito cara...

De que adianta viver 80 anos com medo de morrer? e não fazer nada?

prefiro morrer com 50 e ter feito muito mais...

gostei muito do texto...

Lari. disse...

A vida não é contada pelos anos que completamos e sim pelas emoções que vivemos. Li algo parecido com isso em algum outro blog e me lembrei após ler o seu post. A vida é feita de momentos, dois momentos vividos com intensidade, paixão, valem mais do que 80 anos vividos sem nenhuma emoção.

André disse...

o tempo e a velhice no fazem refletir sobre se valeu a pena...quem esta começando ja se questiona...imagine depois dos 50 ou 60 anos...os sonhos ja não poderão ser realizados...bonito.
abraços

DuDu Magalhães disse...

Eita...

Que texto forte...

me fez viajar... na experiencia!


vai ter continuação,né??

http://estranhopornatureza.blogspot.com/

goldeplacaec disse...

muito boa essa cronica
boa pro fim de ano \o
eu que nao sou mto chegado em cronicas dessa eu gostei

vlw parabens

http://goldeplacaec.blogspot.com/

greatdj disse...

Nunca conseguiremos prever quando iremos morrer.
A vida é algo complexo, depende de como vivemos, onde vivemos, em que situações, como somos.
Mas espero viver muito.

O Frango... ® disse...

uma boa conversa de buteco regada a muita cerveja! Realmente não importa a sua idade, o mais importante é o que você fez por toda a vida!

ana disse...

é a vida..é bonita e é bonita...

http://redescobrindosp.blogspot.com

LuccasGB® disse...

Bem legal. Acho que esse texto é bem legal que muda um pouco o jeito das pessoas pensarem sobre o tempo e afins...
Bem legal!

Abraços!
http://blogataverna.blogspot.com/

Janes William disse...

Fala aih, seu Michel! Dei 5 estrelas pra esta postagem, eles merecem muito mais que uma cerva gelada!!
Como não sei exatamente como comentar este diálogo, vou transcrever um trecho da Bíblia, acho que vai resolver meu caso:
"Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando... Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios." (Salmos 90:10-12)
Além dessa oração bíblica, lembrei também de uma idéia meio polêmica defendida por Domenico di Masi, de que uma pessoa fica velha dois anos antes de morrer; ou seja, se vai morrer com 90 anos, tem totais condições de ter uma vida ativa até os 88, e se já desistiu com 28 anos certamente não vai passar dos 30.
Valeeeeuuuu!
J.W. - http://MinhaSorteNoOrkut.blogspot.com

Miriã Soares disse...

...saber viver, apreciar cada momento, ter atitudes sensatas e positivas... coisas simples, mas de grandes significados...

A'ZaF disse...

eu comecei a ler e lembrei que tava passando um programa na tv que eu tenho que ver...vou lá e leio depois


nota: só postei pra não ser acusado de calote.

nota²: assim que der uma propaganda eu venho eleio td pra postar.

abraço

http://paranoiaelucidez.blogspot.com/

Igor Pinheiro disse...

Adoro esses textos reflexivos, principalmente sobre a vida e seus momentos tão pequenos e importantes ao mesmo tempo.

antoniopimenta disse...

Muito legal a sua postagem! Faz a gente refletir sobre a vida...

Abração

Bia Mecânica disse...

Caramba, é a primeira vez que venho ao seu blog e tô maravilhada. Muuito bom! Adorei esse seu último texto. O que eu posso dizer? O personagem está certo: pra quê viver muito se não vive bem? O melhor é sorrir, meu caro. Ser você mesmo com as pessoas. Ser você pra você mesmo.
Isso é viver.
Até a próxima!
Bjos*

contos disse...

por isso que vivo e sempre viv cada minuto como se fosse o ultimo

Lenny disse...

Blog style ;)
depois visita o meu
www.mondovideo.blogger.com.br

Rodrigo Yoshizumi disse...

hahah! fato!
sou obrigado a concordar com Humberto...
idade é algo mto relativo!

dizem isso do vinho... e acho que podemos dizer isso das pessoas tbm...

tenha um ótimo 2009!
abraço!

Tiago Cervo disse...

Com certeza, peuquenos momentos fazem diferença na brevidade da vida.

Grande abraço

http://ccdodia.blogspot.com/