terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Um sonho dentro de um sonho


Receba este beijo em sua fronte
Pois com ele me despeço rumo ao horizonte
Deste modo, deixe que lhe conte:
Você não está errada ao considerar
Que meus dias têm sido um eterno sonhar
Contudo, se a Esperança desaparecia
À noite, ou enquanto era dia
Em uma visão, ou em nenhum
Não resta Esperança, nem sentimento algum
Tudo aquilo que nós vemos ou parecemos
Não passa de um sonho dentro de um sonho que perdemos

Eu fico imóvel em meio a rugidos
De um mar atormentado em seus bramidos
E seguro entre minhas mãos
Dourados e arenosos grãos
Quão pouco! Entretanto estão partindo
Por entre meus dedos vão sumindo
Enquanto a dor vai me consumindo
Ó, Deus! Não posso dar-lhes abrigo
Em minhas mãos, mantê-los comigo?
Ó, Deus! Não posso sequer um resgatar
Desta impiedosa fúria do mar?
Será tudo que vemos ou parecemos
Um sonho dentro de um sonho que perdemos?

* Tradução do poema A dream within a dream de Edgar Allan Poe, que fiz na faculdade

29 comentários:

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Que lindo! Viver de sonho em vida de sonhar. Belo e triste, assim como ela é.

Abraços!

jcdigital disse...

interessante, pena que não curto muito poemas.

;)

Rody Cáceres disse...

fantástico...aproveito para apresentar meu blog...www.rodycaceres.blogspot.com

lumartins2908 disse...

UAU, adorei

http://tiomah.blogspot.com/

Arthur Santana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arthur Santana disse...

muito bom!
parabéns pela tradução...gosto de muito de trabalhar com isso tbm, me divirto...
MAS...
fui só eu q percebi q o poeta da foto é meio vesgo?
aauheuaheuhauehauehuaheuhauehahe
--
www.moolegal.wordpress.com

Bianca disse...

Ah adoro o Edgar!! Adorei os textos do blog! Parabéns...Passarei mais vezes!

Beijos!

http://www.sonhosamadores.blogspot.com/

grupo gauche disse...

esse é um dos CARAS hauhauaha
quero ler cada vez mais coisas dele... vc faz letras? abraços

Jonas Migotto disse...

interessante, pena que não curto muito poemas.

;)[2]

mais mesmo assim força pro teu blog

Marcelle Lins disse...

[Aplausos]

Grande sensibilidade ao traduzir este poema ...
Ameii a pureza e o pesar desses versos. Otima escolha!!

Beijão Pra Tii..

Depois passa no meu blog
www.maisq1historia.blogspot.com

Rodrigo Yoshizumi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Lucia Nicolau disse...

lindo, refletindo ...é bom quando a vida parece um sonho de um sonho...

jcdigital disse...

hum..., como disse antes não sou muito fã de poemas.

fela_geo disse...

muito bom o texto

Thiago Assis disse...

Não sou um conhecedor de Edgar Allan Poe, mas posso afirmar, por esse poema, que ele sabe usar muito bem o sentimento das palavras =]

Thiago Assis,
www.thiagogaru.blogspot.com

Palavaras à flor da pele disse...

gostei do título...
aliás, um belo poema!
como a poesia nos revela não é?

Fabiana Borges

www.fabianaborge.com

Paulo Vianna disse...

Blog show...tá de parabéns!

Sabrina Andrade disse...

que lindo.
ruim é acordar do sonho

www.mundoplancton.blogspot.com

Morango com leite condensado disse...

Hummm que poema lindo!!!
Gosto de vir por aqui, pq aqui sempre encontramos belos posts. Esse tá perfeito!!!


Bjos

Veiga disse...

mt bonito...

O "Sábio" Niestévisky disse...

Adoro o Ed!!! Muito bom esse poema, parabéns pela escolha.

nalinhadefundo disse...

Bacana pra quem gosta de poemas, eu nao gosto mto

mas enfim bacana
vlw abraços

http://nalinhadefundo.blogspot.com/

Dan Souza disse...

Liindo!
Já li alguns contos dele, mas poema acho que foi a primeira vez...
Gostei muito!=D

Bjoo

Dário Souza disse...

Muito bom o texto, o cara da foto parece charles chaplin vesgo e descabelado

Fabio Thiago disse...

belo poema!

gostei

abraço

Rubens Rodrigues disse...

Allan Poe é simplesmnte o cara!
Um dos poetas que mai me deixa de queixo caído com sua obra.
Mt lindo o poema, o mínimo que poderia esperar dele!

Anônimo disse...

Ótima tradução. Parabéns!

Joanna Matias disse...

nossa!! Muito massa, sou fã de Alan Poe... Muito bom mesmo.

Unknown disse...

Obrigado pela visita ao meu blog. Gostei de sua tradução. Uma tradução é uma recriação do original e a minha, como você notou, mantém rima e métrica, o que não é fácil. Às vezes passo um longo tempo sem traduzir ou escrever porque fico exaurido. Para mim, poesia é o mínimo do máximo, por isso uso poucas palavras e as minhas traduções também seguem esse curso. Abraço